QUE MUNDO PEQUENO

Uma jornada por lugares estreitos

Benjamim César

 

Usando a figura da família como uma metáfora para o que nos é familiar e a relação que Jesus tem com sua própria família, Benjamin revela porque o familiar necessita ser abandonado, quais as implicações de uma vida que não se descola do familiar e que riscos corremos permanecendo sempre em "casa". Considera o familiar como o lugar conhecido, confortável, dominado, seguro, largo... até se tornar estreito. Examina ainda quais as âncoras que nos acompanharão em nossos "êxodos", sob quais bases caminharemos a nossa jornada e o que não podemos abrir mão em nossa peregrinação.

Este é o texto que conta parte da sua jornada. Nele você encontrará sua alma desnudada, saberá como viu a sua história nas narrativas bíblicas e conhecerá os temas de suas meditações e orações. Reconhecerá, portanto, nessas páginas a história de um ex-preguiçoso e sedentário que se transformou num nômade esperançoso de um dia chegar a sua pátria definitiva e celestial.

 

 

10,5x 18

106 páginas